Não .

Posted in Uncategorized on Julho 23, 2011 by sterika

Basta um único som para que eu reviva, basta o difundir de determinada fragrância para eu suspire feliz, somente um pequeno olhar atencioso é o suficiente para que revele meus segredos… Basta um único toque que me remeta a todos os outros para que eu me entregue com a inocência das apaixonadas e a empolgação adolescente.

Assumo o que fiz mesmo sem querer, assumo que revelar-me é a mais dolorida tarefa que já tive,  e digo em absoluto desespero  “Por que não?”

Porque não pode haver nova chance, não há credulidade para tal insanidade,  e o que significou aquele momento…Uma prova de que sabemos a quem pertencemos e que tal posse nos condena a  viver em dualidade. 

Incansável confusão a minha… A confusão dos que se esmagam por um NÃO, dos que ainda que entendam não aceitam… A confusão da alma que se descobre reapaixonada.

Sterika – em crise

Ainda que sendo tarde e em vão,

perguntarei por que motivo

tudo quando eu quis de mais vivo

tinha por cima escrito: “Não”

Cecília Meirelles

 

Anúncios

O mundo cruel de Sterika

Posted in Uncategorized on Julho 21, 2011 by sterika

No mundo Sterika nem todos os dias são coloridos, nem todas as casas tem jardim e nem todas as pessoas são felizes. No mundo de Sterika nada é visto com romantismo (pelo menos hoje), nada é dito com ternura ( hoje pelo menos não!), não há atenuantes. As coisas são como são, sem dó.

O amor só existem entre mãe e filho ,e somente   em alguns casos, pois os relcionamentos se tornaram fúteis e indesejáveis.

Não há vontades aparentes, nem empolgação humana, tudo é exatamente como é. A coisa boa é boa  e a ruim é ruim, as intençoes são questionáveis e só merece respeito quem intimida…O amigo nem sempre é sincero, o que se perdeu não volta e a histeria é a única forma de expressao … Este é o mundo de Sterika, no qual você pode dizer o que quiser pois ninguém te ouve, pode ser coerente e boa que não fará diferença nenhuma, pode ser esforçar muito  que não será valorizado, pode se doar que ninguém fará o mesmo por você… E acima de tudo pode ter esperança porque ela é a última que morre !!

Definições

Posted in Uncategorized on Maio 14, 2011 by sterika

CANSAÇO

 

PAZ.

 

LOUCURA.

 

POSSE !

 

AUTENTICIDADE

 

CUMPLICIDADE

 
 
 
 
 

Limite

Posted in Uncategorized on Maio 1, 2011 by sterika

A vida é delimitada por limites, parâmetros, delimitações que provam até onde podemos chegar. Tem gente que gosta de ultrapassar os seus, viver como ilegais num território longe dos teus limites e isto é perigoso. Outros nem chegam perto do seu limite, não se aventuram, não se arriscam. O melhor então é conhecer o seu limite e saber que passando dali tudo pode acontecer.

Penso muito nisso nestes dias, penso tanto que até irrita, é como o aviso do microondas quando você não tira a comida, apita, apita apita. Sinto este sonar, parece que estou no meu limite ou bem perto dele e cada vez que paro pra avaliar fico mais preocupada, neste ritmo que as coisas vão, não sei se vou conseguir parar na linha.

Mas o que que tem diz o cisne negro, viva o perigo, responsabilize-se pelo irresponsável, levante as mãos na montanha russa, porém o cisne branco me manda ter pose de bailarina, regrada, sistemática, ortopedicamente certa, cabelo alinhado e a vida na mesma chatice de sempre.

Pense se não é enlouquecedor, você ter que viver a margem do formal pra ter momentos brilhantes. Você ter que esconder o sorriso feliz pra satisfazer a sociedade, você ter que aceitar ser a segunda opção, ter que fugir e se esconder, ter que ser o que você não é, pra se sentir viva….Todos tem o seu limite e eu sei o meu…E digo estou nele…Na beira do penhasco !!!

9/03/2011

Equipe de apoio

Posted in Uncategorized on Outubro 3, 2010 by sterika

Bengala, andaime, espátula, viga, bastão, badine, muleta. Instrumentos de apoio servem pra dividir o peso, pra auxiliar numa tarefa, ajudam nas situações em que seu esforço não dará os plenos resultados. Tem gente que precisa deles pra vida toda, mas em alguns casos a necessidade é por determinados momentos. Ouvi a história de um homem que conseguiu andar depois de muitos anos usando a bengala. Foi ótimo andar sozinho, mas ele não jogou fora sua companheira, saber que ela estava ali caso ele precisasse já era um grande apoio.

Uma bengala com chamas igual a do Dr House não seria ruim pra mim, não porque não consigo andar, mas porque preciso de apoio. Tive um dia estranho,  alias dias estranhos, daqueles nos quais o dia vai acabando e eu lembro que não comi, não penteei o cabelo, não tive tempo … Uma viga na qual eu pudesse me encostar enquanto tomo um cafezinho, que me contasse uma coisa engraçada,  e que mesmo por piedade fosse sensível  a tudo que se passa e não um peso.  Seria bom.

Admiro as pessoas que passam por coisas sem apoio de ninguém, a mãe que cuida sozinha do filho, aqueles que cresceram sem família,  os que conquistaram o sonho  por teimosia, mas não estou assim, estou frágil. Vi uma coisa horrível, vi nos olhos  um imenso ego, vi que eu não existo, existe somente o que eu posso fazer , assim ficou as coisas ficaram claras, estou sozinha , e tudo não passa de aparências .

Hoje fui levar minha mãe no hospital, e em pronto socorro você vê de tudo, eu estava sentada perto da porta, pensando  em o que fazer  com aquela senhora teimosa, que não quer facilitar as coisas,  foi quando chegou uma mulher trazendo a avó que  passava mal, ela estava desesperada, o pai dela tremia, a Senhora foi colocada na cadeira de rodas e   a levaram pra dentro da SO, foi tudo tão rápido, uns gritos, gente correndo e  pronto. Mas quando a porta fechou um menino ficou pra fora, ele devia ter uns 7 anos, sujo de brincar na rua, ele parecia  assustado olhando pra todos os lados ,  e olhou pra mim com o olhar mais perdido do mundo, cara de gotinha como dizia uma amiga.  Não sei se ele se viu em mim, ou eu me vi nele, ou se partilhávamos do mesmo olhar…De repente a porta abre e a mãe dele aparece, ela diz bem rápido “Mamãe vai ficar com a vó lá dentro, espera que logo tudo vai ficar bem!”,  uma pequena atitude de apoio, nada mudou, ele continuou sozinho ali num hospital, mas parecia uma outra criança, sentou e foi ver televisão.Eu olhei pro lado e lá estava minha mãe, falando, falando e falando , perdida na cabeça que está falhando…    Apoio… Só de vez em quando, seria bom.

Lembrei daquele versículo que Jesus disse não ter nem onde encostar a cabeça, lembrei de outro que diz que há tempo pra todas as coisas,  e respirei fundo. Enfrentei o médico e voltei pra casa pra enfrentar  as discussões que deixei pela metade, daí encontrei meu filho, e ele veio correndo pra mim e me abraçou…Será que é crueldade se apoiar num bebezinho?  Mas é tudo que tenho por hora, até comprar uma muleta.

Espero não me tornar, também,  aquele que ajuda a estragar o que já está ruim ou o que coloca mais peso na sacola que está rasgando, porque hoje sei que é difícil demais segurar o peso. Que Deus me ajude!

Relicário

Posted in Uncategorized on Setembro 27, 2010 by sterika

Esta música  resume no que ando vivendo…Gosto dela…Fica a mensagem pros romanticos instantaneos como eu !!!!!

É uma índia com colar
A tarde linda que não quer se pôr
Dançam as ilhas sobre o mar
Sua cartilha tem o A de que cor?

O que está acontecendo?
O mundo está ao contrário e ninguém reparou
O que está acontecendo?
Eu estava em paz quando você chegou

E são dois cílios em pleno ar
Atrás do filho vem o pai e o avô
Como um gatilho sem disparar
Você invade mais um lugar
Onde eu não vou

O que você está fazendo?
Milhões de vasos sem nenhuma flor
O que você está fazendo?
Um relicário imenso deste amor

Corre a lua porque longe vai?
Sobe o dia tão vertical
O horizonte anuncia com o seu vitral
Que eu trocaria a eternidade por esta noite

Porque está amanhecendo?
Peço o contrario, ver o sol se por
Porque está amanhecendo?
Se não vou beijar seus lábios quando você se for

Quem nesse mundo faz o que há durar
Pura semente dura: o futuro amor
Eu sou a chuva pra você secar
Pelo zunido das suas asas você me falou

O que você está dizendo?
Milhões de frases sem nenhuma cor, ôôôô…
O que você está dizendo?
Um relicário imenso deste amor

O que você está dizendo?
O que você está fazendo?
Por que que está fazendo assim?
…está fazendo assim?

Desde que você chegou
O meu coração se abriu,
Hoje eu sinto mais calor
E não sinto nem mais frio,

E o que os olhos não vêm
O coração pressente,
Mesmo na saudade
Você não está ausente

E em cada beijo seu
E em cada estrela do céu
E em cada flor no campo
E em cada letra no papel

Que cor terão seus olhos
E a luz dos seu cabelo
Só sei que vou chamá-lo

De esmael, esmael

Pa ciência!

Posted in Uncategorized on Agosto 19, 2010 by sterika

Perseverança. Capacidade de tolerar contrariedades, dissabores, infelicidades. Demora nas coisas que se deviam executar prontamente. Sofrimento em pontos de honra.

Paciência… O que tem de ciência nisto? Tenho dúvidas se paciência é uma emoção, algo que você possa produzir,  um sentimento, algo que você cultiva ou um dom.

Um dom seria algo divino e exclusivo para poucos, e se pensar assim começo a temer, afinal preciso de muita paciência e se eu não for contemplada com tal dom… Prefiro ser prevenida e tratar tal necessidade de todas as maneiras, assim respiro fundo pra que ela venha dominar as emoções, fecho os olhos para cultivar este sentimento e murmuro um pedido a Deus.

Preciso de paciência. Aquela do tipo que se fosse vendida em farmácias seria um tapa ouvidos. Uma paciência que difere da espera, é aquela que exige de você um autocontrole, uma onda que te impede de jogar pro alto toda sua sanidade.

Faz meses que espero algo dar certo e nada acontece. Faz dias que espero uma boa notícia e ela não vem… Meu tempo é exclusivo para tentar fazer as coisas não serem tão enlouquecedoras , mas elas são! O mais difícil é ter paciência sem expectativas, sem previsão de melhoras, sem um pote no final do arco-íris, é como esperar num hospital sem médico.

Respiro fundo umas mil vezes por dia, pra cada reclamação que eu ouço, pra cada momento de brigas, pra cada noite que passo sozinha com aquele bebê no colo… Me sinto tão só e tão impotente, que pareço estar diante de um  túmulo e quando começo a me descontrolar…Respiro fundo ! Não posso me render, preciso ser mais forte do que tudo isto! Sinto-me completamente Maria Madalena… Caminhando em direção ao túmulo de Jesus, talvez pensasse que ela não tinha sorte mesmo, quando resolveu dar um rumo na vida olha o que aconteceu! Ou fosse menos egoísta e até agradecida do tipo “Valeu, tudo que vivemos os milagres e tudo, foi bom enquanto durou”, não sei porque prefiro acreditar que ela estava como eu entre a paciência e a demência.  Respirando fundo quando na verdade queria gritar, desconjurar, culpar alguém, sair correndo, fugir e dizer o quanto estava decepcionada. Discordo de quem diz que ela foi ao túmulo de Jesus com muita fé, ela foi sozinha, percorreu aquele caminho sangrento. Não tinha ombro pra chorar, não tinha ânimo pra aguentar choro, simplesmente foi porque nós gostamos de ostentar nossas dores, e às vezes pra não se enlouquecer é necessário reviver o motivo pelo qual continuamos, ainda que este motivo não exista mais. Seja apenas uma pedra fria.

Sofrimento em pontos de honra, tolerar mesmo quando a razão está do teu lado e obter o presente mais precioso do universo “a paciência “. Imagino a cara da Maria diante do túmulo vazio, se fosse eu pensaria “Dá pra piorar?”. Mas para ela era apenas um recomeço… Era o fim da era ouvir pro início da era viver.

Na Bíblia a paciência é tratada como um dom, mas do tipo que Deus dá liberalmente a quem pedir, e eu acredito sinceramente que este o caminho que me levará ao recomeço. Não podemos enlouquecer diante dos absurdos que a vida nos impõe, há um caminho que nos levará ao túmulo vazio, a troca da paciência pela esperança..

.Enquanto eu não chego lá continuo com os exercícios diários, respiro para as emoções, fecho os olhos para o sentimento e murmuro um pedido a Deus!

-Dá-me paciência!!!!